Teologia Da Prosperidade

O que é a teologia da prosperidade?

Você já ouviu falar da teologia da prosperidade?

Nos últimos tempos tem-se ouvido falar cada vez mais dela, mas afinal, o que é a teologia da prosperidade?

O que ela afirma?

O que traz de novo?

É isso que vamos ver nesse artigo. Confira!

O que é a teologia da prosperidade? Princípios básicos

A teologia da prosperidade, ou o evangelho da prosperidade,

é a vertente religiosa cristã defensora de que a bênção financeira faz parte do desejo de Deus para todos os cristãos.

Assim, na teologia da prosperidade, Deus quer que todos os seus filhos tenham prosperidade financeira.

A fé é assim responsável por manter o discurso sempre positivo, e, de acordo com essa doutrina religiosa,

as doações em benefício dos ministérios cristãos farão aumentar sempre a riqueza material dos fiéis.

Sendo baseadas nas interpretações não tradicionais da bíblia, dando ênfase ao Livro de Malaquias,

teologia da prosperidade defende que a Bíblia é como se fosse um contrato de Deus com os humanos.

Assim sendo, se os Homens se mantiverem com fé em Deus, Deus irá cumprir as suas promessas de segurança,

assim como de prosperidade. Assim, deve sempre reconhecer as promessas como reais,

e interiorizar os atos de fé, pois assim Deus irá honrá-las.

Os defensores da teologia da prosperidade transmitem o conhecimento que a doutrina é o caminho para a dominação cristã da sociedade,

e argumentam que a promessa de Deus de dominação para com as tribos de Israel irá ser aplicada aos cristãos de hoje em dia.

Essa doutrina realça o valor do poder pessoal, que propõe a vontade de Deus de ver os seus seguidores felizes.

A reconciliação com Deus é interpretada como a forma de incluir o sentimento de alívio da pobreza e doenças,

que de fato são vistas como maldições, por quebrarem a fé de alguma forma.

Crê-se que se irá atingir esse patamar pela visualização e confissão positiva que, por norma,

é professado em termos mecânicos e contratuais.

História da teologia da prosperidade

Foi nos anos 1950, durante os avivamentos de cura, que a teologia da prosperidade mais se evidenciou nos Estados Unidos,

embora os entendidos associassem as ligações das suas origens ao movimento novo pensamento.

A teologia da prosperidade adquiriu seus ensinamentos, os quais se salientaram no movimento palavra de fé,

e no televangelismo, durante os anos 1980.

Entre 1999 e 2000 foi acolhida por líderes poderosos do movimento carismático, e incentivada por missionários cristãos, espalhada por todo o mundo, originando a construção das megaigrejas.

Os líderes mais influentes no crescimento da teologia da prosperidade são:

• E. W. Kenyon

• Oral Roberts

• T. L. Osborn

• Kenneth Hagin

As igrejas em que o evangelho da prosperidade é instruído são, por norma, não-denominacionais, e normalmente contém apenas um único líder, ou pastor, sendo que algumas desenvolvem redes que se parecem com denominações.

Algumas igrejas despendem um bom tempo aos ensinamentos do dízimo, com o discurso positivo, assim como com a fé.

As megaigrejas, por norma, transmitem conhecimentos sobre a responsabilidade financeira mesmo que algumas Mídias critiquem os conselhos transmitidos por eles, acusando-os de fraudulentos.

A teologia da prosperidade tem sido alvo de críticas por movimentos pentecostais, sendo mesmo carismático, assim como outras denominações a nível cristão. Argumentam ainda que é uma doutrina irresponsável, pois promove a idolatração, sendo que ela é contrária às escrituras.

A doutrina consegue o sucesso que lhe é atribuído atualmente na Coréia do Sul, pois contém muitas parecenças com a cultura xamanista tradicional. Por sua vez, no ocidente, esta tem conseguido cada vez mais seguidores, quer seja nas classes mais baixas, como nas altas, e tem sucesso ligado as parecenças com o culto à carga, teologia da libertação que está ligada às igrejas afro-americanas e à religiosidade tradicional africana.

O que diz a teologia da prosperidade?

Essa doutrina tem como missão ensinar que os cristãos têm o direito ao bem-estar, quer seja no foro físico, quer no espiritual, sendo que esses dois estão comumente ligados.

Assim, tanto a saúde física como a prosperidade financeira são defendidas pelos líderes dessa doutrina religiosa.

Faz parte de seus ensinamentos que os cristãos receberam poderes acuando a criação do Universo, pois eles são filhos de Deus, feitos à imagem d’Ele.

Assim sendo, a confissão positiva faz com que os cristãos exerçam o domínio sobre as suas almas, assim como sobre todos os objetos ao seu redor.

A expiação é vista como uma fonte de alívio para a pobreza, doenças, e corrupção (espiritual). A prosperidade deve ser vista, assim, como um todo, sendo que esse é o caminho para que se extermine de vez com a pobreza.

Essa doutrina interpreta a riqueza como uma benção de Deus, sendo que ela é obtida através da lei espiritual, ou seja, da confissão positiva, dízimo, e visualização.

A prosperidade é, assim, governada por leis, sendo vista como um contrato inviolável dos Homens com Deus.

[ratings]

Comentários

comentários